quarta-feira, 25 de março de 2009

DE ROSAS


Foto by Fernando Campanella


Brindemos, amantes, a cada manhã
com um suave tilintar de pétalas,
com o mais fino licor de uma rosa
tão finita & sempre viva,
tão óbvia & super nova,
tão dolorosamente espinho
e ainda amorosamente rosa:
eis o amor em sua mais redundante
e ainda irretocável metáfora -
todo o resto é meramente prosa.

Fernando Campanella


OF ROSES

Let’s toast, lovers, each morn,
With a caring tinkling of petals,
And the finest liquor
of a rose
So finite & everlasting,
So obvious & anew,
So painfully a thorn
And lovingly a rose
Still.
That’s love
In its redundant
Yet most irreproachable
Metaphor –
All the rest is merely prose.

Fernando Campanella

5 comentários:

  1. Lindo, lindo dearest Fernando!
    Como todos teus poemas:
    Insuperáveis.
    Um prazer vir te visitar!
    Kisses...

    ResponderExcluir
  2. Concordo com a Madalena!

    Lindo, lindo, lindo...

    ResponderExcluir
  3. E concordo com a Flor e a Madalena, Insuperáveis!!

    ResponderExcluir
  4. Obrigado, Flor, Madalena e Antonio Carlos. Na verdade, este poema tem uma versão maior, que não transcrevi aqui. E também é um dos poemas que consegui verter para o inglês, espero que tenha ficado, nesta língua, à altura do Português. Grande abraço.

    ResponderExcluir