segunda-feira, 24 de julho de 2017

UM TUDO QUASE NADA


 
 
um tudo quase nada
um mínimo de luz
sobre um grão de mostarda
 
(Fernando Campanella)
 
 


sábado, 22 de julho de 2017

UMA SUPERLUA

(Foto por Fernando Campanella)


 
 Às vezes travo um solilóquio com a morte
com a dor inapelável
dos que não escapam ao fim.
De repente uma superlua
(ou teu olhar?) 
desponta entre as ramagens sombrias
e parece me dizer baixinho:
sossega, eu ainda estou aqui.
(Fernando Campanella)




domingo, 16 de julho de 2017

RIBALTA

                                           
 

Tua vida foi mais um palco
As luzes cessaram
Os aplausos minguaram -
 
E agora, e agora, irmão?
 
Agora que apenas te resta
Desfazer as dobras
Tatear as sombras
Do rosto de Hades
 
Dançando ao som
Da brisa leve
Soprando a vela acesa
Na palma de tua mão.
 
(Fernando Campanella)