quarta-feira, 2 de setembro de 2009

A LA MISMA HORA


Foto by Alicia Ruiz*
http://www.flickr.com/people/agripina_del_56/


À mesma hora, no mesmo lugar,
eu caminhava entre árvores
e espremia nos dedos
o mudo cipreste
roçando o acridoce olfato
ao silêncio de meu nariz

mas naquele instante
entre cúmplices imagens
quando a sombra me tece
e o sem- fundo do lago me diz
no frescor do mais contido sumo
cheirei a poesia, como do nada

e andei sobre águas -
o naufrágio por um triz.

Fernando Campanella
* O título da foto acima, da fotógrafa argentina Alicia Ruiz, é ' A la misma hora en el mismo lugar'. E, abaixo da foto, ela completa '... pero hacia el poniente.'
Sim, minha amiga Alicia, na mesma hora, no mesmo lugar... mas em torno, em direção ao poente...
e havia os ciprestes que pela primeira vez foram cúmplices de nosso olhar.
Muito obrigado, minha amiga, suas fotos e seus temas são para mim fonte de inspiração.




5 comentários:

  1. Há instantes assim: as imagens em cumplicidade com as palavras tornam possível o poema...
    Uma fotografia muito bela.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Es una alegría para mí saber que mis fotos te gustan tanto como para inspirar esta bella poesía.

    Saludos,

    Alicia

    ResponderExcluir
  3. Fernando Campanella,
    encantada com a beleza da fotografia
    e da bela poesia,
    meus cumprimentos,
    Efigênia Coutinho

    ResponderExcluir
  4. Campanella, gostei de reler seu poema do cipreste - tema que já sugere o tom elegíaco, mas aqui cheira mais à mágica da poesia, que nos faz caminhar sobre as águas, não nos deixa naufragar.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir