sexta-feira, 2 de outubro de 2009

IMAGENS DO DIA


Peroba-branca na manhã,
Foto by Fernando Campanella
Peroba-branca ao pôr-do-sol,
Foto by Fernando Campanella

A árvore nas fotos acima de há muito tem sido minha cúmplice em caminhadas na tarde. As árvores das fotos acima, melhor dizendo, pois são seis troncos contíguos, de uma mesma espécie, agregando o que parece ser uma única copa esplendorosa.

Gosto de vê-las principalmente no final de agosto, início de setembro, com a estação do calor já se aproximando. Ao anúncio da primavera, sob uma certa luz poente, que só as tardes desses meses concedem, elas me trazem maior identidade à alma.

Hoje, caminhando pela manhã, novamente as vejo. Já estão com folhas novas, tão verdes, tilintando à luz do sol. São belas em qualquer hora do dia, sem dúvida, e até mesmo à noite devem ter seu encanto, sob a tíbia luz do luar.

Nunca indaguei por seu nome, porém na caminhada de hoje uma curiosidade enorme desperta-se em mim a esse respeito. Prometo a mim mesmo que não terminará a manhã sem que eu descubra como se chamam.

A resposta vem de um pescador, que passa por mim em sua bicicleta. Resposta imediata, clara como algo que sempre se soubera - Peroba Branca, árvore muito boa para móveis e caibros de telhados.

Ah, as minhas companheiras de caminhadas são então Perobas, gosto muito de saber isso. Árvores muito cortadas, infelizmnte, por sua condição de madeira de lei. Parentes da Peroba-Rosa...

Mundinho, mundão... Volto para casa com a estranha sensação de sempre ter sido um estrangeiro em minha própria terra. Sou capaz de nomear certas estrelas a milhares de anos-luz da terra, indiferentes no céu , porém o nome de minhas fiéis companheiras, tão famosas, por sinal, eu desconhecia.

Em minhas futuras caminhadas, cumprimentarei vocês pelo nome, minhas Perobas -Brancas. Acredito que esse deve ser mesmo o nome, pois o senhor da informação respondeu-me tão prontamente, com detalhes, parecendo ter conhecimento de causa. Mas saibam que se fossem Aroeiras, Angicos, Guatambus, etc. , não perderiam, absolutamente, o encanto que sempre instilaram em mim.

Fernando Campanella



6 comentários:

  1. As imagens são lindas, mas quando têm histórias, tornam-se muito mais especiais.
    Um abraço, bom final de semana!

    ResponderExcluir
  2. Parece que as árvores se tornaram mais íntimas quando você ficou sabendo o nome delas.
    Que coisa boa poder caminhar apreciando essas maravilhas!

    bjs

    ResponderExcluir
  3. Bela crônica, Campanella.
    A Sônia disse bem: as coisas são mais íntimas quando lhes sabemos o nome, não são mais estranhas, mas amigas, às vezes muito íntimas.


    Abração.

    ResponderExcluir
  4. Fernando,

    são mesmo lindas tuas companheiras de caminhada... Obrigada por nos apresentá-las!

    Uma semana de paz!

    Bjs.

    ResponderExcluir
  5. Demais estas damas! Ali se exibindo, e ao mesmo tempo tão modestas! Para poucos e privilegiados olhos! Abraço, lindo texto! Tá perfeita a safra!

    ResponderExcluir