quinta-feira, 18 de março de 2010

A TARDE ÀS VEZES ME CONVIDA


Foto by Fernando Campanella

A tarde às vezes me convida
para um volteio nos campos
entre contornos de montes
ante o silêncio de uma ermida

a uma luz inclinada
por um certo sopro de outono
em transparências de azul
às vezes a tarde me quer voo
por entre as nuvens compartidas

- a tarde se esquece às vezes
louca e lindamente
que não tenho o descompromisso
das aves, que sou gente.

Fernando Campanella,

(Poema dedicado à minha amiga Maria Madalena)



Vídeo escolhido para esta postagem, 'Teahouse moon', by Enya

7 comentários:

  1. Passear à tarde com os pássaros e com as árvores... Um poema muito belo. E embora eu goste mais das manhãs, posso fazer-lhe companhia?
    Um beijo, amigo.

    ResponderExcluir
  2. O "descompromisso das aves", que bom isso!
    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Concordo com o comentador anterior! Quero esse «descompromisso», preciso dele...
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Seria tão bom ter esse descompromisso das aves, não é mesmo?

    bjs

    ResponderExcluir
  5. Quem me conhece sabe que adoro poemas e músicas q falam de vôo e liberdade.
    Madalena merece todas as homenagens...
    Ela dedica muito do seu tempo a poesia e a vocês, poetas.
    Por acaso... outro dia comentei isso com nossa amiga em comum, a Ivanira (Nira).
    Muito bem merecido, parabéns aos dois!

    *.*

    ResponderExcluir
  6. Belíssimo poema,Fernando...beijo

    ResponderExcluir