terça-feira, 14 de abril de 2009

BÁLSAMO*


Foto by Fernando Campanella


O amor é triste – proclamariam minhas viúvas.
Mas disse o filósofo: a alegria corteja
A mais profunda eternidade.
Todas vertentes consideradas
Abandono o vale
Onde as sombras compõem a enormidade.
Os grilos agora tilintam, e a luz da lua
Impregna as árvores de um bálsamo –
Meu amor, se possível, me aguarda,
Retorno a ti, clara a trilha
Que agora a meus olhos se abre.

Fernando Campanella


*Na realidade, este poema foi escrito primeiramente em inglês, com o título de BALM. A tradução veio depois, porém não saberia dizer se sou um bom tradutor de mim mesmo. Abaixo, a versão original em inglês:

BALM

Love is sad –
Would my widows proclaim.
But said the philosopher:
Joy courts deepest eternity.
All things considered, I leave the valley
Where shadows rise domain.
The crickets are tinkling,
The moonlight is embalming the trees-
Wait , shall you, my love,
I can now see the trail,
I am returning to thee.

Fernando Campanella

(Que diz a profunda meia-noite? “Tenho dormido, tenho dormido! De um profundo sono despertei: O mundo é profundo, mais profundo do que o dia, pensava. Profunda é a sua dor e a alegria mais profunda que o sofrimento! A dor diz: Passa! Mas toda a alegria quer eternidade, quer profunda eternidade!”
(Friedrich Nietzsche)












5 comentários:

  1. Lindo tudo por aqui! Com certeza, deve ter sido o momento especial, já que a inspiração por aqui te pegou de jeito, e fez nascer tão bela obra! Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, Antonio Carlos, pelo comentário. Sim, foi um momento especial. Sabe, um poema é uma expressão de todo um universo que freme dentro de quem o escreve. Em si próprio, pela própria definição, universos são vastos. São sombras e a busca da luz. Quando a poesia, ou qualquer outra obra de arte, acontece, realiza-se como um milagre da síntese de tudo que vivemos e sentimos. Daí as famosas entrelinhas do poema que tantos sentidos e interpretações proporcionam a quem o lê.
    O que vejo neste poema 'Bálsamo' é isto: a sombra buscando a luz.
    Grande abraço, meu especial amigo.

    ResponderExcluir
  3. Lindo poema, lindo blog, lindo poeta!
    Passando para desejar um maravilhoso final de semana a você!
    Beijíssimos

    ResponderExcluir
  4. Obrigado, minha querida amiga. A força e a suavidade de tua presença têm me incentivado a querer fazer deste blogger um espaço criativo, um encontro de almas. Grande abraço.

    ResponderExcluir