quinta-feira, 18 de junho de 2009

EFEMÉRIDES (JUNHO)


Foto by Fernando Campanella

Junho é um grasnar solitário,
é uma gralha
que ao colo da araucária retorna.

As garras da ave, desprendidas do dia,
soltam as sementes que meus olhos
em silêncio recolhem.


(Fernando Campanella
da série “Efemérides”)

8 comentários:

  1. "As garras da ave, desprendidas do dia,
    soltam as sementes que meus olhos
    em silêncio recolhem."

    Em junho nada mais repousante do que uma araucaria assim tão iluminada.

    Abraços, poeta!

    ResponderExcluir
  2. Uma gralha ilumina a tarde.
    As sementes florescem nos olhos
    como em lagos cheios de luz.
    Pois é, é sugestiva mesmo a sua poesia.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Olá Fernando. Ainda bem que neste espaço veio caminhar,e se clhar no sítio,certo,temos algo em comum, o sonho da palavra que é a poesia,e o encanto pela natureza,que regala nossos olhos em cada despertar.Obrigado pela visita! Fica bom fim semana,e beijinho

    Lisa

    ResponderExcluir
  4. Estamos num lugar de Junho e qualquer sinal de ausência é apenas um veleiro que partiu dos nossos dedos...
    Gostei do seu poema. Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. Achei muito interessante, este seu poema.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  6. Adoro tua série Efemérides! Adoro essa tua foto! Perfeitos sempre...

    ResponderExcluir
  7. Obrigado a todos vocês, Flor, José Carlos, Lisa, Graça, Vieira, e Antonio Carlos. Esse é um poema que faz parte de uma série intitulada 'Efemérides', onde poetizo sobre uma árvore para cada mes. Logo, postarei o poema com a árvore homenageada em julho.
    Obrigado, Lisa e Vieira, pela primeira visita, voltem sempre. Grande abraço a todos. Fiquei muito feliz que tenham gostado do poema.

    ResponderExcluir