quarta-feira, 24 de março de 2010

CONTOS DA LUA

Lua crescente
Foto by Fernando Campanella

lua, lua, lua,
três vezes giro
para retornar à fria
estática de teu silêncio
(Fernando Campanella)

I

após a chuva
a lua em bruma
expele um halo

e na lagoa rasa
passo a noite
engolindo os sapos

II

a lua banha o rosto
na lagoa

- peixes miúdos
transparecem
nesse oceano ralo

III

resguardo os amantes
estanco as ondas
e as marés -

no conto da lua
esta noite
claramente eu não caio

Fernando Campanella


Vídeo escolhido para esta postagem: 'Autum moon over the calm lake' (Lua de outono sobre o lago calmo), canção tradicional chinesa.

8 comentários:

  1. A lua é dos poetas e dos amantes.
    E lembrei-me de um poema:
    Meu amor que se perdeu por que não
    dizes qual o cheiro do luar
    quando a alma é saciada?
    Não sabes ou nunca te aconteceu?
    Um beijo, meu amigo Fernando.

    ResponderExcluir
  2. O halo da lua, refletida no lago, e quase caímos no conto da lua - mas caímos, que é esse conto é a poesia.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. A lua,companheira dos passos/sonhos dos poetas.
    Uma maravilha.
    Beijinho

    ResponderExcluir
  4. Amigo Fernando,

    O seu "Contos da Lua", é de excelente qualidade, e muito agradável de ser lido. Parabéns também, pela foto da lua, de sua autoria.

    Um abraço,
    Pedro.

    ResponderExcluir
  5. Olá, onde a Lua estiver, estarei a observá-la. Esse satélite mexe comigo na mesma proporção que mexe com as marés. Sou apai-xo-na-da pela Lua.
    Ao chegar ao seu blog , quem sabe trazida por ela, e ao ler seu lindo "Contos da Lua", não poderia ser diferente.Fiquei por aqui.
    Parabéns!!!
    Um abraço

    ResponderExcluir
  6. Uma imagem tão bela assim da lua já é pura poesia.

    bjs

    ResponderExcluir