domingo, 16 de janeiro de 2011

FLOR DE UM DIA


Foto por Fernando Campanella

gosto de imaginar-te
como capricho de um verão
qual pequenina estrela
que para meu dia refulge
e tão logo, num suspiro,
esvaece -

ah, delicada surpresa
de que o mundo me existe
me estremece

Fernando Campanella

(Transitorius...

Fotografei em macro a pequenina flor acima hoje de manhã. Agora à tarde, após intensa chuva, retornei ao quintal para vê-la, mas ali não mais se encontrava. Por isso, e desconhecendo seu nome científico ou popular, prefiro chamá-la 'Flor-de-um-dia'... ou de algumas horas.)

6 comentários:

  1. Lindíssimo, meu querido Fernando!
    Versos delicados, alegres, levas como pluma...
    Adorei, amigo meu, grande poeta!
    Abraço bem apertado da
    Zélia

    ResponderExcluir
  2. «Delicado» é a palavra meu amigo! Que poema lindo.
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. A beleza do efêmero torna-se perene no poema.

    bjs

    ResponderExcluir
  4. A beleza é efêmera, Campanella, e eu quero ver no seu poema o bronze que a eterniza.
    Palavras, palavras, mas gostei do poema, de como diz muito quase sem querer dizer.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Uma flor é um capricho de todas as estações do ano. Efémera, singela, cheia de beleza. Uma fotografia linda!
    Obrigada pelo momento lindíssimo de música e imagens que me encheram a alma.
    Um grande beijo, Fernando.

    ResponderExcluir
  6. Vim reler a maravilha de poema!
    Beijo

    ResponderExcluir