domingo, 1 de março de 2009

SEGREDO




Foto by Fernando Campanella

Imagino
que saio a pescar a luz na tarde,
meu samburá a tiracolo,
antes que os deuses do dia
atrelem as carruagens
e o sol se incline na memória
e se afunde no abismo das palavras

Mudo as pedras.

Imagino então
Dona Lua, por puro encanto,
até as franjas do infinito
tecendo um halo

e capturando estrelas
no encalço.

Imagino, imagino
e deste imaginar me reincorporo,
chispo rudes pérolas,
alucino?

Fernando Campanella, Junho de 2007

5 comentários:

  1. Maravilha de poema e imagem!!! Veja q maravilha isso:

    ..."meu samburá a tiracolo,
    antes que os deuses do dia
    atrelem as carruagens..."

    Perfeito... A foto? Nossa, sem comentários...

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, Tonhão, tua presença enche minhas páginas de alegria e carinho. Tua sensibilidade é impar. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  3. Teus versos compõem a imagem do poema em busca da luz.

    Trago-te este:

    Poema no Sol

    "Hoje vou pescar de anzol...
    arremessarei tão longe, no rio
    que fisgarei o Sol!

    O guardarei no meu samburá
    e quando fizer muito frio,
    saberei onde o calor está.

    (Antonio M. Fernandes)

    Uma semana plena de inspiração prá ti!

    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Puxa, gostei muito do poema do Antonio M. Fernandes. Coincidência de imagens, temáticas diferentes. Gostei da forma simples, direta, lírica com que ele se expressa. Muito bom mesmo. Obrigado.

    ResponderExcluir