quinta-feira, 11 de junho de 2009

REQUIESCAT


Foto by Antonio Carlos Januário

De meu mar, ofereço-te as ondas
e as praias que poéticas conchas te trazem.
Tais suaves mistérios te concedo, mais as algas
e as gaivotas que bicam tecidos de luz na tarde.

Povoados de ti, de mim,
os barcos que chegam
e ardem.

Adere-te, pois, ao sal que a mim te chama,
cobre teus pés em espuma e encanto,
molha teu rosto
nas claras águas que o dia me abre.

(Sosseguem , minhas dorsais,
descanse, meu leviatã esconso).

Fernando Campanella

5 comentários:

  1. Acho lindo este teu poema Fernando, a foto
    escolhida para ilustrá-lo deixou-o ainda mais belo!

    ResponderExcluir
  2. Lindo poema, e adorei ver uma imagem minhaa o ilustrando! Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  3. Adoro esse poema também, Dione, uma feliz realização para mim. Acredito que ele traga um pouco da tradição lírica de Cecília Meireles, de poetas portugueses também. A foto é de meu amigo Antonio Carlos (maravilhosa) e foi tirada em Paraty, estado do Rio de Janeiro. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns a vc, Antonio, e muito obrigado por concedê-la para essa postagem. Maravilhosa imagem. Grande abraço.

    ResponderExcluir