sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

MIL-CORES


Mil-cores
Foto by Fernando Campanella

esta luz
que entra em meu quarto
resvala nas sombras

me distende os neurônios
apazigua meus mortos

toca o eterno
na cela da hora

afaga as mil cores
e faz de minha alma
uma casa feliz

Fernando Campanella, 2006

6 comentários:

  1. Um ser assim apaziguado é um ser humano!
    Lindo.
    Beijinho

    ResponderExcluir
  2. Uma imagem assim é carícia para a alma!
    um abraço, ótimo domingo

    ResponderExcluir
  3. "...Faz de minha alma uma casa feliz." Dormirei hoje com estes versos no coração, depois de rezar meus agradecimentos e pedidos de desculpas a Deus, por mais um dia de poucos ou mais pecados, (sabe lá, Ele), mas muito a se guardar também, Fernando.
    "...Faz de minha alma uma casa feliz." É tudo de que preciso para vencer mais um dia, e durmi-lo em paz até de lâmpada acesa.
    Fernando, você é simples como um poeta tem de ser com suas palavras, simples, por isso, iluminadas. Caeiro, mestre delas.

    Um 2010 simples e iluminado procê,
    Ramúcio.

    ResponderExcluir
  4. Maravilhoso e eu? Maravilhado!!!!! Parabéns!!! Abraço

    ResponderExcluir
  5. Muito bem, Campanella. A luz da beleza é sinônimo de felicidade em nossa alma.
    Versos medidos, gosto disso. Ficar só nas imagens, não nos preocuparmos com ideias.
    As palavras são carregadas de ideias. O trabalho do poeta é deixar as palavras só imagens.
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir